O tempo não para, seguimos nosso barco

O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo...
Mário Quintana
Aproveitando a frase do Quintana para mostrar a nossa resistência em continuar "cultuando" valores alemães, trazidos aqui pelos imigrantes na sua jornada épica cruzando o Oceano e vindo para a "terra brasilis".  E estes ensinamentos mantidos de pai para filho, de geração em geração, modificou muito ao longo do tempo, sofrendo interferencia da convivência com novas culturas e povos. 

Mas ainda assim, muitos dos costumes, expressões, dialetos, festas  continuam vivos na alma e no dia a dia de nossos descendentes.

E o povo se mantem na memória dos museus, da palavra falada, dos material audiovisual e todo o objeto que o faça lembrar que, sim , ele é alemão, mesmo que tenha nascido em outro país.

Achei interessante divulgar este trecho do artigo da Deutsche Welle sobre as fontes de pesquisa da genealogia alemã:

Martin Luther by Lucas Cranach the Elder, pain...Martin Luther - Image via WikipediaUm site da Paróquia Martin Luther traz informações sobre os primeiros pastores protestantes vindos da Alemanha e as primeiras comunidades evangélicas que deram origem à Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil. Ele contém ainda a relação dos navios que trouxeram imigrantes alemães ao Brasil entre 1824 e 1830 e um "mural dos antepassados".

O Colégio Alemão de Genealogia e a Associação Brasileira de Pesquisadores em História e Genealogia, por sua vez, congregam vários estudiosos da imigração. Esta lista ficará necessariamente incompleta, uma vez que as fontes são muitas. Mas no tocante à internet, é digna de nota a Brazilgenweb, que promete as "mais completas dicas de genealogia na internet" e cumpre realmente.

Seu projeto Imigração Alemã  traz uma cronologia da colonização alemã desde Nova Friburgo e Ilhéus (1818), passando por vários estados brasileiros, páginas dedicadas às colônias, relação de famílias alemãs com suas histórias na rede e vários links para quem quiser conhecer mais detalhes da história da imigração e procurar suas raízes alemãs.

3 comentários:

  1. Olá Geraldo querido!
    Bom tê-lo de volta! O tempo não pára mesmo, meu amigo e o importante é seguirmos adiante... atentos, firmes e, como você nos mostra aqui, valorizando as origens! O tempo não volta atrás, mas é sempre bom lembrarmos de onde viemos e quem somos... Essa é a sua cultura e é legal tê-la aqui, compartilhada com os amigos!
    Grande beijo,
    Jackie

    ResponderExcluir
  2. Olá Geraldo!
    Realmente concordo com você.
    Adorei a frase de Mario Quintana,realmente só a saudade faz o tempo para em grandes extremidades.
    Seja bem vindo ao seu retorno,com muita Paz,Amor,Fé,carinho,respeito,...
    Em todos os dias de sua vida,até quando Deus nos permitir.
    Bjos em seu coração com cheirinho de Jasmin.

    ResponderExcluir
  3. Geraldo, estou com Mario Quintana.
    Alias, saudades de voce é facil, afinal, assim como no Pequeno Principe, voce me cativou. É meu amigo. Se sentir a minha falta é porque o tempo não pára e eu estou num processo meio complicado de mudança. Como bom amigo, sei que entenderá e não me deixará sentindo saudades.

    beijos

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentario!!! Volte Sempre!!!

Tecnologia do Blogger.