A caravana da esperanca de refugiados encontra-se na Alemanha

Após abandonar o seu país, os refugiados de guerra tem esperanças em novas terras, porém nem sempre encontram o seu destino, o mar revolto, as condições em terra, a revolta das autoridades e da população que não os quer.

Mas a Alemanha, através da primeira-ministra Ângela Merkel, os quer e vai os acolher em sua totalidade. Milhares de refugiados chegam a Alemanha e Áustria

Após jornada exaustiva a partir da Hungria, migrantes foram recebidos com aplausos e mensagens de boas vindas na estação de Munique. Na Áustria, requerentes de asilo ganharam cobertores e comida.

Depois de uma exaustiva viagem, cerca de 6 mil refugiados foram recebidos com aplausos neste sábado (05/09) na estação de Munique, no sul da Alemanha, segundo autoridades da Baviera.

Moradores lotaram as plataformas para receber os requerentes de asilo, principalmente sírios, vindos da Hungria. A multidão aplaudia cada novo trem que chegava com centenas de migrantes.

Eles eram levados a tendas para registro e, posteriormente, a centros de acolhida para refugiados ao redor do país. De acordo com o Ministério do Interior alemão, é esperada a chegada de mais 7 mil requerentes de asilo até o final deste domingo, principalmente, em trens vindos da Áustria.

Depois de uma semana de caos nas ruas e estações de trem da capital Budapeste, a Hungria disponibilizou ônibus para transportar cerca de 4 mil refugiados até a fronteira com a Áustria.

Em Viena e nas cidades da fronteira austro-húngara, os requerentes receberam cobertores, sacos de dormir e comida. Milhares decidiram fazer o trajeto de Budapeste até a fronteira com a Áustria a pé.

Muitos migrantes relataram o alívio de ter deixado a Hungria. O governo do país tem empregado um discurso contra a imigração. "Foi uma situação horrível na Hungria", relatou um migrante logo após chegar em Viena. Um refugiado da Síria comemorou. "Estamos felizes. Agora vamos para a Alemanha."

Este caravana, a maior desde a segunda grande mundial,  chega neste momento ao lugar onde serão orientados a procurar a Indústria alemã que promete empregar refugiados.

Presidente da Confederação da Indústria Alemã diz que empresas precisam de mão de obra estrangeira e critica demora na concessão de asilo. Chefe da Daimler propõe informar sobre oportunidades nos centros de acolhida.

Com informações da DW

Nenhum comentário

Obrigado pelo seu comentario!!! Volte Sempre!!!

Tecnologia do Blogger.