Ataques a forças de segurança causam indignação na Alemanha

Homem atira garrafa de vidro em direção à polícia em LeipzigDurante a noite de réveillon, policiais, socorristas e bombeiros foram alvo de uma série de atos de violência em Berlim e várias cidades do país. Políticos condenam: "Irresponsável e repugnante."

Foram recebidas com indignação nesta segunda-feira (01/01) as notícias de que policiais, bombeiros, socorristas e outros servidores foram alvo de uma série de atos de violência na virada do ano, em várias partes da Alemanha.

Só na capital Berlim, os bombeiros registraram oito ataques diretos contra seu pessoal e 57 ataques contra automóveis da corporação, um deles com ameaça com arma de fogo. Em um caso, um bombeiro foi ferido ao ser agredido no rosto, em outro, um colega foi atingido por fogos de artifício.

Em Stuttgart, no sul do país, policiais e bombeiros ficaram feridos ao serem atingidos por fogos de artifício durante um trabalho de resgate.

Em Bremen, no norte, um grupo de cerca de 50 pessoas atirou fogos de artifício contra policiais e funcionários do transporte público. Houve detenções e um ferido.

Em Leipzig, no leste, a polícia teve de usar canhões de água para conter um grupo de dezenas de pessoas que destruía patrimônio público, incendiando lixeiras, por exemplo. Contra os policiais foram jogadas garrafas de vidro, pedras e fogos de artifício. Vários agressores foram detidos.

Em Dortmund, no oeste, segundo o jornal Die Welt, policiais foram agredidos e ameaçados com uma arma falsa enquanto tentavam conter uma briga generalizada.

"Ataques a forças de resgate – independente de quando, onde e por quem – são inaceitáveis", escreveu no Twitter o ministro da Justiça, Heiko Maas.

O secretário do Interior do estado da Saxônia (onde fica Leipzig), Roland Wöller, disse que atacar forças de segurança e socorristas é um ataque "ao Estado de Direito e à democracia".

"Irresponsável e repugnante", declarou, por sua vez, o deputado social-democrata Burkhard Lischka, representante de seu partido para questões de segurança interna. "Quem ataca equipes de resgate, bombeiros e policiais, atraca a todos nós."

Membros dos sindicatos de policiais e bombeiros também condenaram os ataques e pediram um debate mais amplo na sociedade sobre o ocorrido.

Não há informações sobre a identidade dos envolvidos nos ataques, tampouco se algumas das ações violentas contra as forças de segurança foram previamente orquestradas por algum grupo. Uma motivação específica para os ataques também não foi apontada pela polícia.

Fonte: DW

Nenhum comentário

Obrigado pelo seu comentario!!! Volte Sempre!!!

Tecnologia do Blogger.