Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2010

Filosofo das Contradições morreu há 150 anos..

Em 21 de setembro de 1860 morria em Frankfurt am Main  um dos mais influentes pensadores do século 19. Uma figura marcada por contradições e anedotas, porém sem a qual Wagner, Nietzsche e Thomas Mann seriam impensáveis.  Obit anus, abit onus: A velha morre, a carga se vai. A frase consta do livro de contas de um certo senhor alemão do século 19. Mais de 20 anos antes, ele machucara seriamente, numa briga, o braço de uma costureira, sendo condenado a pagar-lhe uma pensão vitalícia. Agora, por fim, com a morte da ex-vizinha, a despesa estava quitada. Tanto a história como seu final não soam nada nobres, muito menos para um filósofo. No entanto, assim era Arthur Schopenhauer (1788-1860): um homem de extremos e contradições. Teoria e prática Nos atos, um Don Juan, nas ideias, um misógino, seu julgamento sobre o matrimônio era sumário: "Casar-se significa agarrar um saco, de olhos vendados, e rezar para que se ache uma enguia em meio a um monte de cobras". Além disso, por…