Header Ads

Genealogia

21 de abr de 2017

Puxadinhos verdes

Leipzig
Os "Schrebergärten" – jardins urbanos alemães – são muitas vezes confundidos com favelas por estrangeiros, mas são espaços de lazer super disputados na Alemanha. 

Terrenos públicos são arrendados à população.

A primeira impressão do olhar estrangeiro sobre as pequenas casinhas amontoadas à beira das ferrovias ou no meio das cidades é de que são "favelas ao estilo alemão". 

Os barraquinhos de madeira enfileirados e separados por cercas são, na verdade, parte dos disputados jardins urbanos da Alemanha – os Schrebergärten.

Os terrenos públicos cedidos a mais de 15 mil associações que coordenam o aluguel e a utilização dos espaços servem para o cultivo de legumes, verduras e flores. Ou ainda para aproveitar as noites quentes do verão depois do trabalho ou fazer um churrasco no fim de semana.

É uma opção econômica para quem mora em apartamentos e não tem um espaço de lazer ao ar livre. Os "puxadinhos" nas grandes e pequenas cidades da Alemanha já foram considerados caretas, mas se tornam cada vez mais populares entre as famílias jovens alemãs. 

Os mais de um milhão de Schrebergärten na Alemanha cobrem uma área de quase 50 mil hectares e são disputadíssimos. Há longas filas de espera para conseguir alugar um pequeno lote. Os preços variam de acordo com a região e instalações próximas, como piscinas públicas ou espaços de diversões para crianças.

O arrendamento dos lotes é, geralmente, por tempo indeterminado e pago anualmente à associação que gere a área, mas os cerca de 5 milhões de locatários precisam cumprir as regras de organização e limpeza. As cercas vivas precisam ser aparadas de forma impecável, o gramado bem cortado, e os caminhos de passagem sempre limpos para que os vizinhos não reclamem.

Tem até quem comemore a festa de casamento nos pequenos jardins, idealizados há 200 anos. A primeira colônia de jardins urbanos foi estabelecida em 1814 por um pastor na cidade de Kappeln, no extremo-norte da Alemanha.

Fonte: DW

17 de abr de 2017

Os alemães e o ovo: uma relação de amor

relações especiais entre alemães
Na Alemanha, a importância do ovo não se evidencia somente na Páscoa. Eles são manuseados com copos e colheres especiais, são pintados e pendurados em árvores. 

Mesmo que todos saibam que coelhas e lebres não põem ovos: fotos como essa aparecem todos os anos durante a Páscoa. Na Alemanha, no entanto, o ovo tem uma importância especial não somente nesse período. 

No café da manhã, jantar ou como artigo de decoração: os alemães têm uma relação especial com o ovo.


Ovos coloridos


Os recém-chegados à Alemanha podem se surpreender se encontrarem em outubro, por exemplo, ovos cozidos coloridos no supermercado ou na padaria (e não congelados). Não se trata de um descuido. Os alemães consomem ovos pintados cozidos o ano todo. 

Segundo o jornal "Süddeutsche Zeitung", em 2016, foram vendidas 475 milhões de unidades.

Ovos não são postos por lebres, eles crescem em árvores. Trata-se de uma tradição alemã de Páscoa: decorar com ovos coloridos árvores no jardim ou buquês de galhos num jarro, como se fosse uma árvore de Natal. 

Até 2015, a família Kraft em Saalfeld era responsável pela decoração da maior árvore de Páscoa do país, com mais de 10 mil ovos.

Fonte: DW

12 de abr de 2017

Como Lutero provocou uma revolução religiosa mundial

reformador da igreja.Há 500 anos, Martinho Lutero deflagrou uma verdadeira revolução religiosa ao criticar publicamente a Igreja Católica em Wittenberg, na Alemanha, veja no link da reportagem (em vídeo)  da Deustche Welle



10 de jan de 2017

Inverno chega pra valer à Alemanha

inverno
Digna de uma pintura, esta foto é desta sexta-feira (06/01) no lago Königsee, na Baviera.
Neve e temperaturas de mais de 20 graus negativos causam transtornos. Muitos, no entanto, sabem aproveitar as belas paisagens e se divertir no frio – também os animais.







Neste momento (10/01/2017), na terra natal de Leonard Volz, Niederlinxweiler/ALE, estas são as condições do tempo:


Tempo encontra-se com neve e nevoeiro 

Temperatura : 1°C 

Temperatura : 1°C 

Velocidade  do vento: 2 Km/h

Umidade do Ar : 93%

Previsão do Tempo  : 2°C | -1°C 

Chuva : 1.6 mm

22 de dez de 2016

Influencia de Lutero no Natal alemão

Reforma ProtestanteA Reforma Protestante transformou os mercados de Natal. Martinho Lutero queria abolir os santos católicos – especialmente São Nicolau. E ele tentou isso com a seguinte estratégia: a tradicional entrega de presentes realizada no Dia de São Nicolau, em 6 de dezembro, deveria ser realizada no Natal. Dessa forma, Lutero queria tirar o ato de presentear das mãos de São Nicolau para, finalmente, torná-lo totalmente dispensável, afirma o especialista Becker-Huberti.
Por isso que, em muitos lugares, da Alemanha e de outros países europeus, não é o São Nicolau que traz os presentes na véspera do Natal, mas o menino Jesus. "Se alguém precisava de coisas para o Natal que não podiam ser produzidas pela própria pessoa, ela procurava os mercados de Natal, que originalmente eram focados em mercadorias totalmente diferentes", afirma.
Assim nascia o mercado de Natal moderno – e nele não havia somente gado e mercadorias, mas também decoração para árvore de Natal e presentes.

Fonte: DW

27 de nov de 2016

Os diferentes tipos de cerveja alemã

A cerveja é um dos maiores orgulhos dos alemães. Para garantir a qualidade, existe até uma lei da pureza. A Reinheitsgebot está em vigor há 500 anos. De aspecto turvo e com aromas que vão de cravo a banana, as Weizenbiere estão entre as mais apreciadas pelo público cervejeiro em todo o mundo. Descubra a sua preferida entre as produzidas no país da Oktoberfest.

Elas são servidas à mesa no maior copo do bar – em formato de tulipa, de corpo longo e sinuoso e com o diâmetro ampliado no topo. 

O líquido tem um tom amarelo opaco e preenche o copo em sua totalidade, sendo coroado por uma espessa espuma com aromas que vão do cravo à banana. 

A cerveja de trigo (em alemão Weizenbier ou Weissbier) tem alta fermentação e, por isso, deve ser derramada vagarosamente no copo, de modo a deixar o líquido homogêneo. 

Para que a espuma fique perfeitamente uniforme no topo, é necessário chacoalhar a levedura que fica no fundo da garrafa.

Muito fermentadas, as cervejas de trigo não pertencem à Escola Alemã: as que se enquadram nessa categoria são todas do tipo Lager (no Brasil, conhecidas como Pilsen), mais leves e de baixa fermentação. 

Muito populares no sul da Alemanha, as Weizenbiere pertencem ao tipo Ale, e são consumidas até no café da manhã.

Peculiaridades

Para ser considerada uma verdadeira Weizenbier, as cervejas precisam ter, além do malte de cevada, pelo menos 50% de malte de trigo – algumas delas, no entanto, chegam a ter mais de 70% de trigo na composição. A temperatura ideal para uma Weizenbier tradicional varia entre 4°C e 6°C.

Dentro da categoria de cervejas de trigo, há as seguintes variações:
  • Weizenbier: a tradicional, com baixo amargor, por vezes imperceptível. Dentro dessa categoria, existem as cervejas não filtradas (Hefeweizen/Naturtrüb), e as filtradas (Kristallweizen), mais leves, menos turvas e de cor mais clara que as primeiras. O teor alcoólico varia entre 4% e 6%.
  • Dunkelweizen: é a Weizenbier escura, amarronzada e com notas de caramelo, castanhas e chocolate. Há nesse tipo de cerveja um equilíbrio entre malte e lúpulo – a flor que confere o sabor amargo e doce à cerveja. O teor alcoólico aqui varia entre 5% e 7%. Elas são diferentes das Schwarzenbiere (cervejas pretas), as mais consumidas até a metade do século passado. Sem trigo na composição, as Schwarzenbiere são afú maltadas, e o sabor pode lembrar café, castanha torrada e chocolate.
  • Weizenbock ou Weizenstarkbier: cerveja do tipo bock feita com trigo – entre as três, é a mais forte e de maior teor alcoólico, que varia entre 6% e 12%. A temperatura ideal, assim como para as Dunkelweizen, está entre 8°C e 12°C.Além das variações principais, há outras, como a Witbier (bastante comum na Bélgica, feita com diferentes lúpulos frutados) e a Rauchweinzen (Weizenbier de leve acidez, feita com malte defumado).
Fonte: DW

Puxadinhos verdes

22:32
Os "Schrebergärten" – jardins urbanos alemães – são muitas vezes confundidos com favelas por estrangeiros, mas são espaços de l...Leia Mais

Postagem em destaque

Imigracao, historia e outras conversas

Comecei a fazer este blog como extensão da minha pesquisa genealógica sobre a familia Voltz, mas descobri que precisaria mais histórias sobr...

Cultura

Cultura
Tecnologia do Blogger.